Tec Campos Recebe Capacitação sobre Internacionalização para Competitividade das Empresas Incubadas

Decorrente de um projeto PNI/Finep, em parceria com demais incubadoras do estado do RJ, a Tec Campos recebeu, no dia 06/02/2015, a visita de consultor Estevão da empresa N3 Planejamento para apresentação do 1º Workshop sobre Internacionalização para Competitividade.

Segundo o consultor, neste primeiro Encontro, foram abordados as vantagens da internacionalização, como:

• melhora da competitividade no mercado interno;

• aumento das vendas e dos lucros;

• aumento do market share; diminuição da dependência do mercado interno;

• possibilidade de contato com novas tecnologias;

• melhoria no escoamento da capacidade ociosa e menor impacto da sazonalidade.

No entanto, existem dificuldades neste processo de Internacionalização que foram destacados como: o retorno poderá vir no longo prazo; haverá necessidade de adaptações no produto; assim como de uma equipe especializada e certamente ocorrerá dor de cabeça causada por entraves logísticos no Brasil.

A proposta do WorkShop será levantar um diagnóstico das competências da empresas incubadas, tais como:

• Competência 1 : Gestão

• Competencia 2: Tecnologia e Inovação

• Competência 3: Certificações

• Competencia 4 :Inteligência Competitiva

Em seguida, foi apresentado um cronograma de atividades em sete (07) etapas para o desenvolvimento do trabalho, a saber:

1ª Etapa – Questionário para as empresas – disponível em março de 2015

• Distribuição pelos gerentes – 09/03/15;

• Prazo para responder: até 31/03/15;

2ª Etapa – Seleção das 32 empresas a serem visitadas

• Visitas às empresas – de 06 a 17/04/15;

• Agendamento até 28/04/15;

3ª Etapa – Desenvolvimento da metodologia – Maio

4ª Etapa – Workshop:

• Apresentação da metodologia e treinamento dos gerentes – 04 a 08/05;

5ª Etapa – Feedback das 32 empresas (virtual):

• Maio;

6ª Etapa – Teste da metodologia:

• 11/05 a 22/05;

7ª Etapa – Avaliação e finalização do processo:

• Maio.

Tec Campos Gradua Empresa Incubada

Durante o Encontro Anual de Empreendedores da incubadora, realizado em 17/12/14, a Tec Campos concedeu o certificado de graduação, pelo diretor presidente da Tec Campos, Ronaldo Paranhos, e a gerente Adriana Crespo, à empresa incubada Cubbo Marketing Integrado pelo cumprimento dos requisitos necessários no Programa de Incubação de Empresas, no período de julho 2011 a novembro 2014.

A empresa atua no ramo de prestação de serviços em marketing digital, branding, publicidade e design gráfico.

Segundo a gerente Adriana Crespo, para que um empreendimento incubado possa ser graduado, é exigido que o mesmo tenha sua constituição jurídica como empresa regularizada, tenha concluído 80% de seu Plano de Incubação, tenha um parecer favorável da Gerência de Incubação para graduação em seu Plano de Incubação e apresente garantia de recursos necessários para sua instalação em sede própria. A Cubbo Marketing, diz ela, “ ingressou na Tec Campos em novembro de 2009 no antigo Programa de Pré-Incubação para desenvolver o seu Plano de Negócios. Após, foi selecionada para participar do Programa de Incubação onde esteve incubada por 03 (três) anos, colocando em prática o seu Plano de Negócios com o devido acompanhamento por consultores especializados na área de Gestão, Tecnologia, Recursos Humanos, Mercado e Finanças.”

Diante dos fatos, a Tec Campos considerando que a empresa atingiu um estágio de maturação satisfatório, recomendou a sua Graduação, ou seja, “ela se desliga da Incubadora e passa a caminhar sozinha no mercado”, complementou a Gerente.

Tec Campos firma primeiro contrato de Transferência de Tecnologia

 Éder, Adriana, Diego, Sandro, Cenci,
Silvério e Paranhos

Foi assinado na manhã da última quarta-feira, 25/03/15, o primeiro contrato de Transferência de Tecnologia da UENF, referente à licença para exploração comercial do processo tecnológico desenvolvido pela equipe coordenada pelo professor Éder Resende, do Laboratório de Tecnologia de Alimentos (LTA), que busca o aproveitamento dos resíduos da indústria de suco de maracujá. O processo é objeto de patente requerida no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) há cinco anos.

Participaram da cerimônia o reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas; o empresário Sandro Reis (dono da empresa Extrair, de Bom Jesus do Itabapoana); o engenheiro agrônomo Sérgio Cenci (Embrapa Agroindústria de Alimentos); o professor Éder Dutra Resende (LTA/UENF); o diretor da Agência UENF de Inovação (AGIUENF), Ronaldo Paranhos; a gerente da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (TEC Campos), Adriana Crespo; e o assessor de patentes da UENF Carlos Diego de Oliveira Azevedo.

Desenvolvida pela ex-aluna de mestrado e doutorado da UENF Suelen Alvarenga Regis, sob orientação do professor Éder Dutra Resende, a tecnologia permite separar completamente e de forma rápida as sementes e o arilo (vesícula que contém o suco do maracujá). A pesquisa integra desde 2007 o projeto “Inovação Tecnológica no arranjo produtivo local do maracujá no Estado do Rio de janeiro”, coordenado pela Embrapa em parceria com a UENF. O projeto tem por objetivo a revitalização de toda a cadeia produtiva do maracujá e conta com apoio da Faperj, CNPq e Finep.

O empresário Sandro Reis se interessou pelo processo e, desde 2008, atua em parceria com a UENF e a Embrapa. Um projeto conjunto permitiu a obtenção de ajuda financeira da Faperj para a montagem da empresa “Extrair”, em Bom Jesus do Itabapoana, inaugurada em 2010.

Segundo Paranhos, a assinatura do contrato permite que a empresa possa utilizar o processo tecnológico em escala industrial, gerando royalties sobre os rendimentos líquidos da empresa.

— A pesquisa começou há 10 anos, o pedido de patente foi depositado há cinco anos e a empresa começou a funcionar há três anos. Isso mostra que este é um processo demorado, onde é fundamental esta integração. O significado do que estamos assinando hoje é muito mais intangível que tangível — disse. 

 Sandro Reis e Suelen Régis

Sérgio Censi ressaltou que o objetivo do projeto é a revitalização da cultura do maracujá em bases sustentáveis, o que não houve no passado. Ele informou que, no momento, há seis unidades experimentais demonstrativas, com bons resultados no campo. São duas em Bom Jesus do Itabapoana, duas em São José de Ubá, uma em São Francisco do Itabapoana e outra em Araruama. Segundo ele, muitos destes produtores já estão aumentando a área plantada com recursos próprios.

— As pesquisas estão mostrando que é possível revitalizar o maracujá no Estado. Mas tecnologia não é suficiente. É preciso que o produtor tenha assistência técnica, recursos. Aí entram as políticas públicas. A maioria são produtores familiares, não dispõem de recursos — disse.

A tecnologia desenvolvida no LTA/UENF permite prolongar a vida útil da semente do maracujá, ao separá-la completamente do arilo, vesícula que favorece o crescimento de micro-organismos. Tanto a semente quanto o arilo têm valor comercial. A semente gera, entre outras coisas, óleo extravirgem que pode ser usado na indústria alimentícia ou de cosméticos. Já o arilo, processado em forma de farelo, é rico em pectina, utilizada na indústria de doces, geleias e sorvetes.

— Trata-se de uma tecnologia inédita, que até então não existia em escala industrial — disse Éder, acrescentando que o próximo passo será tentar obter também a parceria das indústrias de suco que atualmente fornecem os resíduos à empresa Extrair, situadas no Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia.

Sandro Reis informou que também pretende aproveitar o resíduo da extração do óleo, que pode ser usado na indústria de produtos integrais. Hoje esse produto é usado como esfoliante e em rações animais. Ele também tem como objetivo futuro utilizar o produto que sobra da lavagem da semente para fazer farinha.

A empresa Extrair encontra-se há três anos incubada na TEC Campos, mas, segundo a gerente Adriana Crespo, continuará sendo assistida mesmo depois que obtiver a sua graduação, na modalidade de empresa associada.

— Não basta utilizar a tecnologia. A empresa precisa de suporte para que seu produto seja competitivo no mercado. Fazemos várias consultorias, prestamos orientações e todo o acompanhamento da evolução da empresa. Este é o caso de maior sucesso e vamos prosseguir visando à melhoria constante — disse.

Escola de Extensão tem curso de Contabilidade e Gestão de Negócios

A Escola de Extensão da UENF inscreve de 30/03 a 13/04/2015 para novo curso: “A Contabilidade como Instrumento de Gestão de Negócios”. O curso tem como público alvo empresários, gerentes, estudantes, além de gestores públicos e privados.

O objetivo do curso, que terá carga horária de 32 horas, é instrumentalizar os profissionais responsáveis pela gestão empresarial para intervenção nos processos industriais, comerciais e de serviços, aumentando a lucratividade do negócio e capacitando a organização para a evolução competitiva no mercado. A coordenação é do professor Alcimar das Chagas Ribeiro, economista, doutor em Engenharia de Produção e consultor de empresas.

Empreendedores se reúnem na Tec Campos

Com histórias de sucesso já no começo, algumas das empresas incubadas pela agência Tec Campos, sediada na UENF, mostraram a um público de empreendedores e consultores os avanços de 2014 e o planejamento de 2015, em palestra durante o Encontro Anual de Empreendedores da incubadora, realizado nesta quarta-feira, 17/12/14, pelo diretor da Tec Campos, Ronaldo Paranhos, e a gerente Adriana Crespo. Representante da Prefeitura, uma das instituições parceiras que formam a agência, o diretor de Inovação e Tecnologia da secretaria de Desenvolvimento, Maurício do Vale, também esteve presente.

Dentro das breves apresentações sobre cada uma das oito empresas, os participantes puderam interagir e dar sugestões.

A Extrair – Óleos Naturais, representada por Sandro Reis, reaproveita resíduos da indústria de sucos do Estado do Rio, Minas e Espírito Santo, principalmente do maracujá, para produção de óleos e sementes desidratadas usados na indústria cosmética. Esta semana, exportou pela primeira vez um lote inicial de sementes beneficiadas para uma fábrica no Japão.

A Fertilis, representada por Marco Antonio Gomes, produz adubo orgânico para plantas e jardins. “A matéria-prima vem do esterco bovino e utilizamos também minhocas vermelhas. Hoje vendemos diretamente para o cliente ou para casas de produtos agropecuários”, explicou.

A Foton, representada no encontro pelo publicitário Marcus Cunha, desenvolve produtos de TI para a área de comunicação de empresas com banco de imagens e oferece também um molde gerenciador de conteúdo na web.

A equipe da Abrasdi, criada por Camila e Deborah Skury, empresa de metalurgia que fabrica serras diamantadas pra indústrias de rochas ornamentais e construção civil, explicou que a proposta da empresa é bater a concorrência de produtos importados da China com um produto de qualidade e durabilidade superior.

Da Preserva Rio, Cristiano Peixoto e Roger Coutinho explicaram que prestam consultoria ambiental para empresas, mas que a proposta de uma escola de educação ambiental irá completar a proposta de soluções ambientais.

A agência de comunicação Full Type, representada pelo publicitário Marcos Liberato Alves, tem como diferencial ente outras agências da área o foco exclusivo na esfera digital, com a utilização de todos os mecanismos encontrados na internet.

Com mais de 200 peças vendidas somente nos últimos meses, a empresa de tecnologia criativa I9Idade, fundada pelo empresário Paulo Paes, tem como foco a indústria panificadora e, contando com a parceria de seis inventores de peças para o setor, vem trazendo soluções para aumentar a segurança do maquinário já utilizado em padarias da região.

Trilhando o caminho da produção de conteúdo de reforço acadêmico para universitários, um ramo ainda pouco explorado, a equipe da Me Passa Aí viu o número de acessos dos seus vídeoaulas postados no site Youtube triplicar de 2013 para 2014. “Hoje, 70% dos universitários trabalham e estudam. É um número grande de pessoas que precisam de reforço das aulas”, contou Luiz Gustavo Borges. A plataforma que grava aulas de reforço de disciplinas, apresenta aulas de, no máximo oito minutos, com assinatura mensal de R$ 9,90. O objetivo é terminar 2015 como o principal player de vídeoaula universitária no país.

O encontro contou ainda com palestra “Alcançando resultados positivos através de boas práticas administrativas”, com o gestor de empresas Augusto Dutra, seguida de depoimento do empresário José Ricardo Junior, do ramo de metais, e da graduação de empresas incubadas.

Orientação na Elaboração de Projetos

Serviço de Orientação na Elaboração de Projetos de Fomento 

A Tec Campos oferece a toda comunidade o Serviço de Orientação na Elaboração de Projetos de Fomento auxiliando empreendedores a captarem recursos financeiros para investir em seu próprio negócio.

Os recursos de fomento são oriundos de Agências de Fomento, que promovem o desenvolvimento econômico e social do Brasil por meio do fomento público à Ciência, Tecnologia e Inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas.

Os governos Estaduais e Federais lançam, através dessas Agências de Fomento, Editais de Subvenção (fundo perdido ou financiamento não reembolsável), ou seja, o valor recebido não precisa ser devolvido.

Os recursos podem ser aplicados em despesas de capital (equipamentos, material permanente e obras) e custeio (material de consumo, diárias, passagens, serviços de terceiros pessoa juridica e pessoa física) essenciais à realização do projeto.

 

Interessados em participar devem manter contato com a Administração da Tec Campos pelos telefones: (22) 2739-7330/ 99779-9628 ou pelo e-mail: tec_campos@hotmail.com

%MCEPASTEBIN%