TEC CAMPOS participa de nova rodada de avaliações para certificação CERNE

A TEC CAMPOS recebeu em sua sede, nos dias 23 e 24 de novembro, Lidiane Samora e Jô Palhano, avaliadoras credenciadas da ANPROTEC, para a realização da segunda rodada de avaliação para certificação CERNE.

CERNE é o modelo de gestão utilizado pela ANPROTEC, que, se adotado corretamente pelas incubadoras, serve como uma certificação de qualidade.

A auditoria foi bem sucedida e isso põe a TEC CAMPOS a um passo de receber a certificação e entrar para o rol das 20 melhores Incubadoras do país.

A próxima auditoria encerrará o processo de avaliação e deve acontecer ainda no primeiro semestre do próximo ano.

 

27/11/2015

Laís Martins

TecCampos

Tec Campos na I Semana de Inovação e Empreendedorismo promovida pela Faculdade Redentor

 

 

 

 

 

Com um bom público, deu-se início no último dia 17 a I Semana de Inovação e Empreendedorismo promovida pela Faculdade Redentor, uma iniciativa de extrema valia para esses momentos de crise. O evento se estende até o dia 19 de novembro com diversas palestras, cases de sucesso e informações variadas dos órgãos de fomento e de apoio aos futuros empreendedores, como o SEBRAE, FIRJAN e FINEP, por exemplo.

Após a abertura da I Semana de Inovação e Empreendedorismo, o Diretor da Faculdade Redentor André Raeli e o Coordenador Tales Borsoi, destacaram a importância do evento com o efeito multiplicador positivo de novas práticas e ações desencadeadas por novos empreendedores. A noite contou ainda com as palestras da Sra. Ada Gonçalves representante da FINEP, do Prof. Luis Gustavo falando do case “Me Passa Aí” e do Prof. Marco Antonio Moreira e da Gerente Adriana Crespo que destacaram o Programa de Difusão da Cultura Empreendedora e as características da TecCampos como incubadora de empresas.

TECCAMPOS no II Inova IFF

 

 

 Da esq. p/ dir.: Vicente de Paulo Santos de Oliveira  – Diretor da UPEA, Fábio Escocard – Empresa Associada MORUMBI, Adriana Crespo – Gerente Tec Campos,  Edson – Empresa Incubada FOTON, Paulo – Empresa Incubada I9DADE, Marco Antônio – Empresa Incubada – FÉRTILIS

 

Integrantes da TECCAMPOS e de empresas associadas e incubadas participam do II Inova IFF- Seminário de Inovação Tecnológica do Instituto Federal Fluminense que começou hoje (17) e se estende até dia 19 de novembro de 2015, no campus Rio Paraíba do Sul/Upea. O evento abordará questões acerca da difusão da política nacional de inovação e da cultura do empreendedorismo através de mesas-redondas, minicurso, oficinas e palestras, além espaço de apresentação reservado a empresas que patrocinam o evento.

O II Inova IFF é promovido por meio do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), da Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação e do Polo de Inovação Campos dos Goytacazes.

 A programação conta com mesas-redondas, minicurso, oficinas e palestras voltados à temática inovação e as relações dela com outras áreas, como Empreendedorismo, Educação Profissional Científica e Tecnológica. O evento também é voltado a estudantes, servidores e comunidade externa. Além disso, haverá espaço de apresentação reservado a empresas que patrocinarem o evento.  Está programado ainda para o dia de hoje o Desafio Inova IFF 2015, no qual estudantes do IFFluminense, em grupo, terão de apresentar um planejamento inicial de um projeto para solucionar a problemática de uma empresa. Essa problemática foi divulgada no dia 01 de novembro.Haverá diversos prêmios para as diferentes colocações, desde certificados e medalhas até uma caderneta de poupança no valor de R$ 100,00.

 

Seminário aborda Inovação e Tecnologia

 O II Inova IFF discutirá, de 17 a 19/11, sobre a difusão da política nacional de inovação e da cultura do empreendedorismo. Estudantes poderão participar de Desafio.

 A segunda edição do Seminário de Inovação Tecnológica do Instituto Federal Fluminense (II Inova IFF) irá ocorrer nos dias 17, 18 e 19 de novembro de 2015, no campus Rio Paraíba do Sul/Upea, e abordará questões acerca da difusão da política nacional de inovação e da cultura do empreendedorismo. O evento é promovido por meio do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), da Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação e do Polo de Inovação Campos dos Goytacazes.

 A programação conta com mesas-redondas, minicurso, oficinas e palestras voltados à temática inovação e as relações dela com outras áreas, como Empreendedorismo, Educação Profissional Científica e Tecnológica. O evento também é voltado a estudantes, servidores e comunidade externa. Além disso, haverá espaço de apresentação reservado a empresas que patrocinarem o evento.

 Os interessados em participar devem se inscrever até o dia 15 de novembro de 2015. Há 150 vagas disponíveis, com possibilidade de cadastro em lista de espera, e estudantes pagam taxa diferente da dos servidores e comunidade externa – R$ 10,00 e R$ 20,00, respectivamente. Os patrocinadores, por sua vez, adotarão cotas de patrocínio com valores diferentes desses e de acordo com seus interesses.

Desafio Inova IFF 2015: durante o evento, no dia 17, acontecerá o Desafio Inova IFF 2015, no qual estudantes do IFFluminense, em grupo, terão de apresentar um planejamento inicial de um projeto para solucionar a problemática de uma empresa. Essa problemática será divulgada no dia 01 de novembro, e haverá uma capacitação prévia para os participantes no dia 05 de novembro, no campus Rio Paraíba do Sul/Upea. Haverá diversos prêmios para as diferentes colocações, desde certificados e medalhas até uma caderneta de poupança no valor de R$ 100,00.

 

Fonte: Site IFF

Finep se une a investidores anjo para investir em startups

A Finep anunciou no último dia 20/10, em Cuiabá, Mato Grosso, o Finep Startup, que visa aportar conhecimento e recursos financeiros via participação no capital de empresas inovadoras de base tecnológica, em estágio inicial, com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões. Essa é a primeira ação dentro de um conjunto de iniciativas voltadas a empresas nascentes que a Finep pretende lançar nos próximos anos, ampliando ainda mais o apoio que a financiadora tem dado às startups através dos Fundos de Investimento em Participações (FIPs).

Uma das novidades é que o investimento vai se dar por meio de contrato de opção de compra de ações e pode chegar a R$ 1 milhão, baseado no plano de negócios da startup. Esse tipo de contrato transforma a investidora, no caso a Finep, em uma potencial acionista da empresa. A opção de a Finep se tornar ou não sócia da startup terá prazo total de vencimento de até três anos, podendo ser prorrogado por mais dois. Se a empresa for bem sucedida, a Finep pode exercer essa opção, se a empresa fracassar, a Finep não arca com o passivo, o que garante maior segurança. O anúncio foi feito durante a 25ª Conferência Anprotec(Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores).

Empresas de base tecnológica nesse estágio possuem grande dificuldade para financiar seu desenvolvimento, principalmente em função da ausência de garantias e geração de caixa. É comum ver empresas que tiveram apoio inicial em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) acabarem com o projeto na gaveta por falta de recursos. O principal objetivo do Finep Startup é justamente alavancar empresas que estejam em fase final de desenvolvimento do produto, para colocar no mercado, ou que precisem ganhar escala de produção. Hoje existe um espaço a ser ocupado entre o primeiro investimento que uma empresa recebe, dos chamados investidores anjo, em uma fase inicial, e aquele feito por meio dos FIPs – que se dividem em três tipos de fundos, dependendo do desenvolvimento da empresa: Seed Capital; Venture Capital; e Private Equity. “Ainda não existia instrumento adequado para esse momento da startup”, frisa o presidente da Finep, Luis Fernandes.

Ao priorizar esse tipo de investimento, pretende-se otimizar os recursos aplicados, diminuindo o risco e aumentando a possibilidade de retorno para a sociedade. Essa iniciativa não pretende competir com os fundos, ao contrário. Deseja levar as empresas a um estágio onde o acesso a esses canais se torne viável. Para a presidente da Anprotec, Francilene Garcia, o Finep Startup representa uma importante alternativa para criar condições de crescimento para essas empresas. “Essa ação preenche uma lacuna. Sem esse apoio, as startups acabam sem condições de crescer no momento oportuno e, ao mesmo tempo, não se tornam atrativas a outros tipos de investimento, o que pode fadar o negócio ao fracasso”, destaca.

O primeiro edital do Finep Startup será lançado em novembro. A previsão é lançar mais um edital em 2016 e dois em 2017. Cada edital terá valor de R$ 20 milhões, totalizando R$ 80 milhões. A expectativa é que o apoio seja concentrado nas tecnologias e setores prioritários da Política Operacional da Finep, como tecnologias da informação e comunicação (TIC), complexo da saúde, defesa, energia, aeroespacial, tecnologias assistivas, biotecnologia, nanotecnologia e novos materiais. A empresa que se enquadrar nos critérios do edital, porém, pode participar da seleção independente da área de atuação. Quem for selecionado poderá receber um novo aporte de até R$ 1 milhão, conforme a evolução do plano de negócios. Os fundos tradicionais investem em média de 10 a 15 empresas em quatro anos. Com o Finep Startup, a Finep pretende investir em 40 empresas até 2016.

Parceira com investidores anjo
O Finep Startup terá um mecanismo inovador para estimular o empreendedor a buscar investimento privado, que priorizará empresas que forem aportadas por investidores anjo. O processo funcionará da seguinte forma: a startup que se inscrever no edital com uma carta de compromisso de um investidor anjo – que também investirá na empresa por meio de contrato de opção – ganhará pontos na seleção feita pela Finep. A quantidade de pontos obtidos dependerá do valor do investimento privado, que pode ir de R$ 50 mil a R$ 350 mil. Além do anjo, o processo de seletivo do edital levará em consideração três dimensões: inovação e tecnologia; mercado e modelo de negócios; e equipe. De acordo com Luis Fernandes, as caraterísticas do edital foram definidas baseadas na relação de longa data que a financiadora mantém com os investidores. O contrato de opção para ambas as partes, diz ele, é o grande diferencial da chamada, pois diminui os riscos para um investidor de menor porte como o anjo. “Esse é um novo modelo de apoio no qual a Finep coloca recursos públicos na startup e ao mesmo tempo alavanca o investimento privado na empresa”, afirma.

O investidor anjo que se comprometer a investir na empresa selecionada pelo edital receberá parte do retorno da Finep, com o objetivo de provocar o engajamento do investidor privado com o sucesso da empresa. Esse percentual será proporcional à participação do anjo na rodada de investimento. Para fomentar essa parceria entre as empresas e os investidores privados, a Finep firmará um acordo com a Anprotec e com a Anjos do Brasil, entidade de fomento ao investimento anjo que apoia o empreendedorismo de inovação. Nesse acordo estão previstas ações como workshops e road shows por todo o País com empresas e investidores para promover a integração entre eles e facilitar possíveis parcerias. Em uma fase mais avançada do processo seletivo, uma banca avaliadora formada por Finep, Anjos do Brasil e Anprotec vai selecionar as startups que serão investidas.

Além da alavancagem de recursos, a atração de investidores privados é fundamental para o sucesso do empreendimento, à medida que estes também agregam conhecimento ao negócio. As startups não necessitam somente de recursos financeiros, mas também de auxílio em questões extremamente relevantes para o futuro do negócio, como governança e gestão. Esse é o principal o objetivo dessa interação com as redes de anjo.

 

Fonte: Site FINEP    19/10/2015